quinta-feira, 1 de maio de 2008

sobre o tempo

Sobre o tempo
- Poderia ficar horas aqui, falando sobre o tempo – pensou Cadu, sentado na sarjeta enquanto esperava Mariana para o primeiro encontro.
O tempo vela os meus dias. Olha como é engraçado: a gente nunca tem tempo pra nada e porque o tempo é corrido e quanto mais corre o tempo mais sem ele a gente fica. Parece complicado, não é.
As pessoas também se dividem sobre o tempo. Umas dizem que dormir, por exemplo, é perda dele. Outras já pensam que quando se dorme aproveita melhor o tempo. O tal Einstein dizia que o tempo é relativo. Pela idéia dele é fácil entender que quanto mais de tempo se precisa menos você tem.
O Fernando Pessoa, uma cara que eles ensinam no cursinho e deveria ter muito tempo de sobra pois tinha um monte de nomes também tentou falar sobre o tempo. Ele disse que a importancia das coisas está na intensidade que elas acontecem e não no tempo que elas duram e por isso tem coisas que são inexplicáveis. Romântico isso! Passou pelo tempo dele e fez história.
O tempo passa para as pessoas e as pessoas passam pelo tempo. Elas nascem crescem se divertem e morrem. Cada momento que acontece, fica lá perdido no tempo, ás vezes imortalizado por uma fotografia velha estante da casa de algum familiar.
O Homem sempre tentou entender o tempo e criou as horas. E criou um criador para o tempo – Chronos era o nome dele. Dizem que esse cara tinha tanto tempo que ele inventou a si mesmo. Eu não sei mas está lá nos livros de mitologia. Por causa dele os homens inventaram o relógio para marcar as horas e ainda chamaram isso de cronômetro. Também chama esse cara de Saturno mas eu não sei se ele usava um monte de anéis.
Uma das coisas mais interessante do tempo é que podemos dividi-lo. Minutos, segundos, milésimos. Isso é muito calculista. Eu prefiro dividir o tempo em 3: antes, agora e depois. Tudo o que acontece com a gente é uma sucessão de tempo. Aténs de estar aqui pensando sobre o tempo eu estava vindo pra casa da Mariana. Depois nós iremos tomar um sorvete. É tudo de forma lógica. Antes vem o antes e depois o depois. Se pudéssemos mudar essa ordem faríamos uma viajem no tempo e saberíamos antes o que acontece depois.
Tem gente que não tem a mínima noção do tempo. Meu irmão mais novo ainda não aprendeu. Meu bisavô já esqueceu e eu as vezes também me perco quando fico pensando coisas. Os homens sempre tiverem tempo para pensar as coisas e tiveram tanto tempo que criaram a agenda. A agenda marca o tempo que as pessoas têm para se dedicar a outras pessoas. As pessoas teriam mais tempo se elas não vivessem com pressa.
O que me deixa mais intrigado em tudo isso é que as pessoas falam do tempo para matar o tempo. Quando alguém está lá sem assunto sempre pergunta sobre o tempo. “Será que vai chover? Tá frio né!” Não é o mesmo tempo, mas esse também chama tempo. Deveria chamar assunto para os sem assuntos. A gente sempre fala sobre esse tempo quando tem um tempo que ta olhando pra outra pessoa e não consegue pensar em nada. É como se a gente tivesse vergonha de falar sobre outras coisas.
Quando Mariana chegou Cadu olhava para o nada feito um bobo. Ela fez de tudo para chama atenção. Ele olhou pra ela e disse:
- Tá frio né!
- Poderíamos fica horas aqui falando sobre o tempo! – retrucou Mariana enquanto sentava ao lado de Cadu para uma conversa sem tempo.

Mário Junior

2 comentários:

Deyse disse...

Mariooo!!!
Muita coincidência eu comentar o frio no msn
e vc estar escrevendo sobre
o tempo
rsrs

Adorei ...a propósito, eu sou umas das pessoas que vivem correndo atrás do tempo ..
E ao mesmo tempo o desperdiçando rss

=)

bjão

margarida disse...

Ha muito nao tempo nao ri quanto ri agora sobre o tempo